Papais e Mamães

Conversando com as crianças sobre o comportamento em cada local que forem visitar

Saiu na imprensa nesta semana um caso que deixou muitos pais de cabelos em pé. Acontece que uma família recebeu uma multa de 132 mil dólares referente a uma escultura que o filho, de cinco anos, teria quebrado em uma visita a uma exposição no Kansas, Estados Unidos.

Segundo a Revista Pais & Filhos, que repercutiu a notícia aqui no Brasil, a mãe teria ido com o filho a este centro comunitário com as obras e não viu quando o pequeno encostou na escultura. Para as autoridades locais, ela teria sido negligente por não ter orientado a criança a não mexer nas coisas. No entanto, ela se defende que um local que é aberto aos pequenos não pode ter algo tão valioso desprotegido.

Comportamento: Quem tem a culpa?

Em verdade, não existe uma culpa. De fato, a peça deveria estar mais bem protegida e, de fato, a mãe deveria ter sido incisiva com a criança. Mas sabemos quão desafiadores os pequenos podem ser, porque estão em fase de descoberta. Eles querem explorar, querem testar os limites. E nem sempre conseguiremos dar conta de tudo isso, infelizmente é a verdade. Um segundo é o suficiente para algo ruir.

A mãe da criança, Sarah Goodman, se mostrou indignada com a situação, apesar de aliviada que nada de grave aconteceu com ele. “Ninguém jamais esperaria que viesse a um lugar que as crianças fossem convidadas e tivessem que se preocupar com uma peça de arte de 132 mil dólares que caiu sobre seu filho. Ele não quebrou de propósito. A peça caiu sobre ele. Não era seguro, não era seguro – de jeito nenhum”.

O contraponto

De fato, é imprescindível que um local de exposição tenha orientações, ainda que em placas ou por profissionais do local, para que os convidados se atenham e mantenham determinada distância de cada objeto valioso.

No entanto, por se tratar de um local de exposição, logicamente entendemos que é preciso um cuidado, especialmente quando levamos as crianças. Como dissemos acima, os pequenos querem testar os limites, então de fato cabe uma conversa inicial sobre o que vai ser encontrado ali.

É muito importante manter uma conversa aberta com as crianças e trata-las com respeito a ponto de mostrar que eles podem entender como se comportar em todos os lugares. É imprescindível explicar para eles sobre qualquer lugar que adentrarão, porque a casa dos outros não tem a mesma regra que a nossa.

Quando falamos sobre isso, pensamos justamente em qualquer situação, mesmo que a criança vá visitar um coleguinha ou alguém da família. Existem limites, e eles devem ser explorados, inclusive para a criança começar a entender, desde pequena, sobre como e quando devem agir sobre quaisquer situações.

É claro que um lugar que convida crianças para visitação deve ter uma preocupação com seus objetos valiosos. Mas também não custa combinar o passeio com a criança previamente, não é mesmo? 🙂

Fonte: Pais & Filhos 

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *