Higiene/Cuidado/Saude

Cuidado com o excesso de comida para acalmar a criança

As mães – especialmente as de primeira viagem – sabem o quão difícil é resistir a dar alguma guloseima para o bebê quando ele parece mais agitado. No entanto, pesquisas apontam que a prática pode influenciar quilos extras na balança dos pequenos no futuro.

Um estudo divulgado pela Penn State University, dos Estados Unidos, analisou 160 famílias para entender o que era feito para acalmar as crianças quando apresentavam traços de tristeza, agitação, raiva, choro, riso etc.

Ao final da pesquisa, entendeu-se que as crianças que eram alimentadas com comidas extras quando estavam agitadas, mesmo sem fome, ganharam muito mais peso do que as outras. Concluiu-se que aquelas que eram tratadas com comida como uma forma de recompensa, tinham a tendência de comer mais por prazer ao crescer.

Excesso de comida

As crianças que receberam mais alimentos em resposta à sua agitação também apresentaram mais sensibilidade em seu sistema da dopamina, neurotransmissor relacionado ao bem-estar e liberado no cérebro quando fazemos coisas prazerosas.

Por isso, esse sentimento de “recompensa” fez mais sentido para estas crianças, que acabaram fazendo uma associação entre comer e se sentir bem. Isto, na teoria explicada no estudo, faria com que elas tivessem o apetite aumentado nos anos seguintes.

A busca incessante por petiscos, na fase de desenvolvimento da criança, é um fator de risco para a obesidade.

Embora o método da comida preferida seja sem dúvida eficaz, especialmente quando outros já falharam, parece mesmo que deve ser repensado, especialmente no caso das crianças mais ativas e extrovertidas, como as descritas pelos pesquisadores.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *