Higiene/Cuidado/Saude

Preparação da chegada do bebê: Do pré-natal à organização da casa

Logo que os papais descobrem a gravidez, tudo muda. É uma mistura de emoção, nervoso, contas e planejamento para a chegada do bebê. São muitas dúvidas: a importância do pré-natal, cuidados com o pequeno, vacinas a se tomar, assim como decoração, enxoval, e tudo mais. Tudo enquanto o pequeno está se formando no útero da mamãe.

Os papais – especialmente os de primeira viagem – normalmente ficam perdidos e não sabem como se organizar para este momento mágico da família. Por isso, com uma ajuda da Bepantol, que nos enviou algumas dicas super importantes e bacanas, vamos comentar com vocês como vocês podem se preparar para o nascimento do bebê.

Pré-Natal: Mais do que importante, imprescindível

Logo que a família descobre a gravidez, é importante encaminhar a mamãe ao obstetra. É no pré-natal, por exemplo, que o profissional da área médica orienta a gestante e o(a) parceiro(a) sobre dieta balanceada, para que ela não ganhe peso em excesso, além de informações relacionadas ao sono, hábito intestinal, exercícios, vestuário, sexualidade, hábitos de fumo, álcool, entre outras orientações.

Durante as visitas periódicas, os médicos obstetras também monitoram o crescimento e o desenvolvimento do bebê no útero, as alterações de pressão da gestante, entre outras medidas que asseguram uma gravidez saudável.

É comum as consultas serem muito esperadas, pois é quando se consegue ver o bebê mexendo por meio dos exames de ultrassom, ouvir o coração e saber suas medidas, como tamanho e peso.

Pensando na importância do pré-natal, Bepantol® Baby reuniu algumas informações relevantes para que, durante a gestação, a mulher se sinta ainda mais segura sobre o que está acontecendo com seu corpo e com a saúde de seu bebê.

Para que serve o pré-natal: prevenir, diagnosticar e tratar possíveis complicações durante a gravidez, tanto na mãe quanto no bebê.

Quando começar o pré-natal: o ideal é iniciar as consultas com um profissional de confiança assim que confirmada a gravidez, ainda no primeiro trimestre da gestação.

Periodicidade: no início, as consultas são mensais. Depois, passam a ter intervalos menores, dependendo da saúde de cada gestante. Entre a 32ª e a 37ª semanas, as visitas ao obstetra passam a ser quinzenais. Já a partir da 40ª semana, com a proximidade do parto, as consultas são semanais. Após esse período, a gestante precisa ser acompanhada a cada dois ou três dias.

Exames e vacinas: é importante que as gestantes façam a revisão das vacinas e de todos os exames físicos e laboratoriais solicitados pelo obstetra – incluindo os ultrassons, pois eles permitem acompanhar o desenvolvimento do feto.

Doenças que podem ser detectadas no pré-natal: as consultas periódicas permitem identificar doenças que já estavam presentes no organismo materno, porém, evoluindo de forma silenciosa, como, diabetes, hipertensão arterial, anemia, problemas no coração, DST, entre outras. Além disso, detecta problemas fetais, como más-formações – algumas delas, se detectadas em fases iniciais, permitem o tratamento intrauterino.

Principais orientações passadas durante o período: durante o pré-natal a gestante e a família recebem uma série de orientações sobre quais atitudes são permitidas durante a gravidez, tais como medicações permitidas, alimentação, atividades físicas permitidas, informações sobre parto e amamentação, além de falar sobre as mudanças físicas e psicológicas que surgem no período.

Preparação da casa para receber o bebê

São muitos fatores a serem considerados, como enxoval, decoração, brinquedos e tudo mais. Mas não se desesperem! As coisas podem ser feitas com calma ao longo dos nove meses de gestação.

A rotina da casa também vai mudar. Especialmente nas primeiras semanas é importante que os papais recebam ajuda, de preferência de profissionais. Não se culpem e nem se forcem ao extremo da exaustão por achar que só vocês podem cuidar do pequeno.

Existem muitas profissionais qualificadas para ajudar os papais, especialmente os de primeira viagem, a ter um momento mágico e tranquilo. Uma babá pode ajudar, por exemplo, nos momentos em que a mãe precisa descansar ou fazer outras atividades (mesmo tomar banho, escovar os dentes. Coisas simples que podem ser sentidas com a mudança de rotina).

AppNanny está aqui, inclusive, para ajudar os papais neste sentido. Basta baixar o aplicativo na loja de aplicativos de seu celular e selecionar as babás para este período 🙂

Bebê chegou. E agora?

Bem, os primeiros dias podem ser confusos para todos. Para o bebê, que não recebe mais alimentação continuamente e nem está mais no calor do útero da mamãe; E para os pais, que agora possuem novos horários de sono, precisam trocar fraldas e ficar de olho no pequeno.

Inclusive aconselhamos que as visitas fiquem para pelo menos 20 dias pós-parto. Ou os visitantes conhecem o pequeno no hospital ou esperam um pouquinho para ir à casa do bebê. É um momento novo, em que os pais mal dormem. Vocês vão querer descansar e tentar se adaptar ao pequeno, então visitas em casa podem acabar tirando a sua tranquilidade neste momento.

Os primeiros dias também são importantes para monitorar o bebê junto ao pediatra. Nas consultas, as famílias também tiram dúvidas sobre o pós-parto e os cuidados com o bebê, principalmente sobre amamentação e higiene íntima do pequeno.

O médico poderá auxiliar a mamãe com a pega da amamentação e poderá dar mais informações sobre as trocas de fraldas periódicas e o período do sono do bebê.

Para o momento da troca de fraldas, Bepantol recomendou o uso de um antiassaduras livre de conservantes para minimizar o risco de alergias. Vale ressaltar a importância de utilizar uma fina camada transparente de creme para permitir que a delicada pele do bebê respire, evitando, assim, o risco de alergias ao produto.

Leave a Comment