Higiene/Cuidado/Saude

O peso do bebê nos primeiros dias de vida e os cuidados

Especialmente quem é mãe ou pai de primeira viagem, acaba se assustando com a oscilação de peso do bebê nos primeiros dias de vida. Por isso, viemos explicar para vocês alguns temas que são normais e em que momento devemos ficar de olho para que o pequeno não adoeça.

A primeira coisa que os pais pensam, logo que o bebê nasce, é se ele está engordando como deveria. É preciso lembrar, em primeiro lugar, que os fatores pré, durante e pós nascimento são diretamente relacionados com o peso do pequeno. Muitos fatores estão relacionados, como a semana gestacional em que a mamãe deu à luz, se ele apresenta algum problema de saúde etc.

Em média, a sociedade de medicina indica que o peso do bebê em seu nascimento deve ser entre três e quatro quilos. Este seria o valor esperado, mas dependendo do caso, uma criança que nasce até 2,5 kg também pode ser saudável.

Diabetes gestacional e o bebê mais gordinho

Quando o bebê nasce com mais de quatro quilos, sua glicemia é medida, porque existe uma propensão para desenvolver a hipoglicemia neonatal, classificada por doses baixas de açúcar no sangue. A mamãe que teve diabetes gestacional também tem chances de ter um neném mais gordinho também.

Perda de peso nos primeiros dias

Muitos pais ficam preocupados com a perda do peso do bebê nos primeiros dias, mas não precisam ficar assustados. É completamente normal que ele reduza em torno de 10% do seu peso corporal, porque ao nascer ele perde líquidos, o que faz com que desinche.

Em geral, a criança começa a perder peso entre o terceiro e quarto dia, e estabiliza por volta do sétimo. A amamentação nos primeiros dias também contribui para a oscilação de peso nos primeiros dias. O colostro, leite da primeira semana que possui mais anticorpos e é mais concentrado, vai ajudar a colonizar o intestino.

Quando a perda de peso deve se tornar uma preocupação?

Claro que existe uma ansiedade grande na hora de pesar o bebê na primeira semana, porque os pais ficam receosos de que o pequeno não esteja se desenvolvendo bem. Mas é essencial manter a calma e ter um diálogo aberto com o pediatra, que avaliará todos os sinais clínicos e também fará uma análise dentro da curva de crescimento. Como foi dito anteriormente, os médicos associarão o número da balança com outros fatores – como o aspecto da urina e das fezes.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *