Higiene/Cuidado/Saude

Vacinação e Realidade Virtual: Técnica para tranqüilizar os pequenos neste momento estressante

Será que a utilização de realidade virtual na vacinação pode mudar o comportamento das crianças com relação a este momento tão estressante?

Na próxima segunda-feira (15) começa o período de vacinação contra Gripe em todo o Brasil é importante falarmos sobre isso. Segundo o Ministério da Saúde, o grupo prioritário para receber a medicação compreende idosos, gestantes, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças de 06 meses a 05 anos. Portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, também devem se vacinar.

É preciso ficar ligado neste assunto, para proteger os nossos pequenos especialmente neste período de alta transmissão! No entanto, um dos problemas que as mamães mais enfrentam é o medo que as crianças têm da agulha na hora da vacinação. No entanto, isto pode estar prestes a mudar!

Um estudo realizado pela Clínica norte-americana Sansum, revelou que crianças que usavam óculos 3D, ou seja, utilizavam realidade virtual enquanto se vacinavam contra a gripe, apresentavam menos medo do que as que tomavam a vacina sem este recurso. Segundo a pesquisa, pelo menos 75% das crianças relataram ter menos dor e 52% menos medo.

Realidade Virutal em Vacinas no Brasil

A técnica ainda não chegou totalmente por aqui. O sistema ainda está sendo implantado em uma rede de farmácias sueca para pacientes de qualquer idade. No entanto, podemos nos animar, porque o laboratório Hermes Pardini já iniciou transição do sistema para cá e a promessa é de que em junho já tenhamos a tecnologia em São Paulo, Goiânia e Belo Horizonte.

Tecnologia da realidade virtual

Segundo a Revista Crescer, que divulgou a informação, a criança começa a utilizar os óculos 3D antes de tomar a vacina e, através dele, passa a assistir uma animação em 3D em que ela se sente como heroína que recebe o “poder especial” (vacina) para poder salvar seu reino.

O que fazer enquanto a tecnologia não chega

– Conversar com o pediatra para entender se é possível utilizar algum tipo de creme anestésico

– Fazer compressas de gelo no braço da criança. O frio contrai os vasos sanguíneos e ajuda a diminuir a sensação de dor;

– Tentar acalmá-la ao máximo antes de ir vacinar.

Fonte: Revista Crescer

 

One Comment

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *